Acusado de abusar sexualmente de idosa de 77 anos é preso pela PC

Um homem de 67 anos foi preso pela Polícia Civil de Manhuaçu. Ele é acusado de abusar sexualmente da tia da esposa dele, uma idosa de 77 anos, que debilitada e passa a maior parte do tempo deitada numa cama.

Por Estevão Gomes 07/08/2019 - 09:09 hs

MANHUAÇU (MG) - Um homem de 67 anos foi preso pela Polícia Civil de Manhuaçu. Ele é acusado de abusar sexualmente da tia da esposa dele, uma idosa de 77 anos, que debilitada e passa a maior parte do tempo deitada numa cama.

A prisão se deu por conta do comprimento de Mandado de Prisão expedido pelo Juiz da Comarca de Manhuaçu, Dr. Alexandre de Almeida Rocha e foi comprido por uma equipe da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), coordenada pela Dra. Adline Ribeiro.

O fato se deu a mais ou menos um ano e quando o autor estava sozinho em casa com a idosa. A sobrinha tem a curatela dela  e cuidava da tia com todo carinho. “Então, no dia dos fatos a esposa do autor chegou em casa mais cedo e flagrou o marido vestindo as roupas e perguntou o que estava acontecendo. Ele simplesmente disse que era aquilo que ela estava vendo”, disse a delegada.

A mulher então foi até a cama em que a tia estava deitada e ao levantar a coberta, ela percebeu que a calcinha da tia estava abaixada e suja de sangue. “Como eles moravam perto da delegacia, de imediato, a mulher veio até nós e relatou os fatos. A vítima foi encaminhada para exames de Corpo Delito onde o médico comprovou as agressões sexuais, inclusive com o rompimento do hímen, ou seja, ela nunca havia tido um contato com homem algum e sendo abusada desta maneira”, relata.

Ainda de acordo com Dra. Adline, o médico constatou também hematomas nos braços da idosa. “Esses hematomas foram causados pelo fato de que o autor usou da força para quebrar a resistência da senhorinha e praticar esse ato tão brutal com ela”, comenta.

As investigações correram por mais de um ano para todo o processo fosse fundamentado em provas que culminasse na prisão do autor. “Neste período a esposa e a vítima foram ameaçadas e a coagidas e voltar a trás na denúncia, como que se pode parar uma investigação em andamento. Mas concluímos o inquérito e apresentamos a denuncia ao Ministério Publico e este acatou as provas nos autos e representou junto à Justiça pela prisão do autor, que foi cumprida nesta data e ele foi recolhido ao presídio de Manhuaçu.

Com informações da Polícia Civil